sábado, 22 de outubro de 2011

Mentiras.

Nesses últimos dias estou passando por uma experiencia dificil, mas que tem me ensinado muito. Incrivel como o Pai Celestial faz as coisas de maneira perfeita, e precisamos manter a humildade e tentar aprender sempre.
A gente nasce e cresce em uma familia normal, que nos ama e educa e os pais fazem o melhor que podem, disso eu tenho certeza. Esses dias ouvi alguem falar que mãe não erra, e hoje eu entendo e concordo. MAS quando somos pequenos numa casa cheia de irmãos é comum recebermos apelidos ou rótulos que geralmete nos acompaham pelo resto da vida. Eu, por exemplo, sempre fui a briguenta, a esquentada, sem paciencia, orgulhosa.. eu cresci ouvindo a frase: "o orgulhoso se ofende facilmente e guarda ressentimentos". Quase diariamente eu ouvia, e acreditava que eu era orgulhosa, chata, brava, e tantas outras coisas.
Ontem a Guiga escreveu num comentário aqui no Blog que a Irmã Rachel sempre diz que eu sou um exemplo de paciencia, e eu agradeço MUITO! Agora que cresci, ja casei, e ja tive filhos eu aprendi que não preciso manter os mesmos rotulos que recebi quando era pequena. E só depende de mim pra mudar o que os outros pensam a meu respeito. Essa semana tive que resolver um problema e fiquei surpresa com a forma como reagi. Meus pais não me reconheceriam e ficariam orgulhosos! É muito bom saber que algumas pessoas que me conhecem pouco, ou as que covivem comigo, se referem a mim de maneira tão diferente do modo como acreditava ser.
E agora como mãe de 3 preciosidades eu tenho me preocupado com isso, com o que eles vão acreditar que são, e tambem como posso ressaltar os defeitos ou as qualidades deles. Porque agora EU sou a mãe, eu não erro nunca, e eles acreditam nisso muito mais do que eu. Se eu falar que eles são inteligentes eles vao acreditar ou se eu falar que são ignorantes eles vão acreditar, só depende de mim escolher o tipo de rotulo que eles vão carregar. E sinceramente, espero que eu consiga grudar neles um montão de rotulos bonitos, brilhantes, cor de rosa ou azul, que eles acreditem que são principes e princesas especiais por serem Filhos de Deus, e que eu os amo apesar dos defeitos..

6 comentários:

Pri Rebicki Prestes disse...

puxa vida quanta sabedoriaaaa
é isso.
psicologia da positividade. eu li isso no livro que eu li pro clube do livro...e ja ouvi na Igreja, sobre nao comparar os filhos, sobre nao falar nada ruim que eles vao acreditar que sao mesmo. tá certissima.
eu tbem era a chatona. ainda sou, mas acho que sou mais paciente claro. rótulos..blagh!

Elton Luz disse...

Adorei!
Uma vez aprendi uma coisa que nao me esqueci mais e tem me ajudado ... Por exemplo: Ao invez de nos dirigirmos aos filhos: Voce eh desobediente! Eh mais correto que digamos... vc nao esta sendo muito bonzinho, precisa melhorar, etc... Assim nao rotulamos os filhos como vc mesma descreveu e isso eh realmente muito serio e importante. Nao eh facil nos lembrarmos sempre, mas eh importantissimo que tomemos cuidado com isso, pois as criancas guardam TUDO na Cabecinha deles, as vezes ate me assusto! Muito bom o Post Mari ... Em casa meu apelido era "india Veia" rarar Eu era bemmm brava e impaciente, Hj minha mae brinca comigo qdo nos relembramos das coisas do passado... nao tinha paciencia nenhuma com meus irmaos... Mas que bom que a gte muda neh? raraara! bjss

Ingrid disse...

Quanta sabedoria! [2] Obrigada por compartilha-la.
Agora, se aquele era o teu rotulo, era mentiroso mesmo... realmente so ouvi coisas ótimas a teu respeito.
A minha mãe sempre me ensinou sobre não rotular (mesmo eu tendo o verdadeiro rotulo de chorona) mas sinto que ultimamente não tenho prestado muita atenção nisso (em me controlar no que falo para as crianças), então agradeço mesmo pelo post, já me comprometi comigo mesma, que pensarei duas vezes no mínimo antes de taxa-los de alguma maneira. Beijao.

Mila Amorim disse...

É bem isso, Mana! Devemos tratar as pessoas como elas devem ser e nao como realmente sao...

Jacqueline Bento disse...

Nossa, adorei esse post! Realmente temos que refletir bastante sobre isso! Bjos

Roberta Pavanelo disse...

Sabe que eu já quebrei tantos paradigmas em minha vida. Descobri que eu não estou fadada a ser o que me rotularam na infância ou ser o fruto da criação que tive. Posso ser aquilo que eu escolher ser. Eu descobri também que eu mesma já me rotulei tanto, e com muito suor e lágrimas me "desrotulei" também. Tem aquela frase de Dolly Parton que diz "Descubra quem você é e seja se propósito" Eu até faria uma mudança. "Descubra quem você quer se tornar e se torne de propósito"
Post maravilhoso, dos meus preferidos! BJS